Seja bom de gente!

A definição de líder, segundo o dicionário Aurélio: chefe; pessoa que possui autoridade e poder para comandar os demais. Indivíduo que exerce influência no comportamento ou no modo de pensar de alguém. Segundo o mesmo dicionário, os sinônimos de líder são: maioral, mandachuva, mentor, pastor, porta-voz, principal, chefe, dirigente, cabeça, guia, capitão, comandante, condutor, diretor, general.


E o que encontramos hoje em nossas organizações? Oxalá, tudo ou quase todas as palavras no parágrafo acima não fazem mais parte das empresas. Embora muito do que está como definição, se não for levado ao pé da letra, e sim de uma maneira diferente de interpretação, podemos caminhar para líder é aquele que lidera pessoas, atrai seguidores e influencia de forma positiva, mentalidades e comportamentos.


O líder tem a função de unir os integrantes do grupo, para que, juntos, possam alcançar objetivos comuns. A liderança está relacionada com a motivação, porque um líder eficaz sabe como estimular a equipe a dar o seu melhor.


No livro Comportamento Organizacional – Criando Vantagem Competitiva, Wagner III e Hollenbeck afirmam: “Não existe um conceito universal padrão sobre liderança, no sentido de seu enfoque, fato justificado pela existência de uma infinidade de teorias que versam sobre esse fenômeno, o que torna o seu processo de interpretação e prática complexo e igualmente um objeto de busca”. Deepak Chopra define: “O líder é a alma simbólica da coletividade, que age como catalisador de mudanças e transformações”.


Com todo respeito ao nosso dicionário Aurélio, e aí utilizando o termo do momento, a definição de líder apresentada por ele, ficou Cringe.


Como eu prefiro olhar para o para-brisa a olhar para o retrovisor, segundo um estudo apresentado pelo Projeto Líderes do Futuro conduzido pela LLYC e Trivu, a geração de Líderes do Futuro respeita o bem-estar dos outros, com a necessidade de transcender a si mesmo e priorizar o coletivo. Esta geração possui um discurso muito mais voltado para os valores comunitários e sociais e ancorado na importância da atuação em equipe. Uma geração de líderes mais emocionais e com vocação social. A análise conduzida permite identificar que os mais jovens utilizam o verbo fazer com maior frequência do que o verbo dizer (o que, curiosamente, é um dos mais usados pela atual geração de líderes).


Por que os líderes de hoje já não se inspiram neste estudo e comecem a rever o seu modo atual de liderar? Um dos grandes pensadores da atualidade, o historiador e professor israelense Yuval Noah Harari diz que “Os desafios não se limitam aos avanços tecnológicos, mas também mudanças sociais, políticas, religiosas e na educação. Líderes de sucesso saberão guiar os povos por esses caminhos ainda não trilhados”.


No filme Gladiador há uma cena em que no Coliseu é simulada a Batalha de Cartago, mas liderados pelo protagonista Maximus os bárbaros vencem os romanos. Então o Imperador pergunta ao mestre de cerimônias: “na Batalha os romanos não deveriam vencer?” Ele responde: “sim majestade, me desculpe majestade.” E o Imperador: “não, eu gosto de surpresas”.

Liderar é levar seu grupo a mudar a história, a chegar a um resultado ao qual não chegaria não fosse sua ação de liderança. Não há dúvidas que as lideranças deverão ser menos técnicas e mais comportamentais, que os líderes não só conduzam pessoas a um destino específico, mas que as influenciem para que tomem decisões certas, sustentáveis e visando o bem coletivo.


Seja o líder do futuro hoje. Quer conhecer mais, entre em contato com a gente.


Escrito por Márcio Pegoraro – Consultor da DorseyRocha Consultoria. Formado em Marketing com MBA em Gestão da Tecnologia da Informação pela Hogeschool Ultrecht e pelo IBMEC. Atua no desenvolvimento de pessoas e organizações.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo